Centro Interpretativo dos Capelinhos

Inaugurado em agosto de 2008, este Centro de Interpretação faz-nos recuar até 1957, ano que marcou para sempre a história da vulcanologia mundial, quando a 27 de setembro um novo vulcão nasceu no mar, o vulcão dos Capelinhos.

O Centro de Interpretação do Vulcão dos Capelinhos (CIVC) tem caráter informativo, didático e científico, dispondo de um conjunto de exposições, com especial destaque para a erupção do Vulcão dos Capelinhos e a formação do arquipélago dos Açores, mas também nos diversos tipos de atividade vulcânica no mundo e a história dos faróis açorianos. Foi nomeado pelo European Museum Forum, para melhor museu da Europa no ano de 2012.

O edifício encontra-se soterrado, de modo a não interferir com a paisagem pré-existente, permitindo desfrutar desta recente paisagem vulcânica originada pela erupção de 1957/58. Para além de um conjunto de exposições, o Centro dispõe de um auditório e de uma exposição temporária de amostras de rochas e minerais. No final da visita, suba ao Farol, onde é possível desfrutar desta paisagem singular.

 

Serviços

  • Visita guiada
  • Guião de Visita Autónoma
  • Circuito de visita em Braille
  • Exposição permanente
  • Exposição Temporária
  • Auditório
  • Projeção de filme/documentário
  • Área infantil
  • Cadeira de Rodas
  • Bilheteira
  • Loja
  • Cafetaria
  • Multibanco/VISA
  • Fraldário
  • WC – mobilidade condicionada
  • Parque de estacionamento

Horários

01 de outubro a 31 de maio

  • Terça a sexta: 10h00 – 17h00 (*)
  • Sábados | domingos | feriados: 14h00 – 17h30 (*)
  • Encerrado: segundas | 1 janeiro | terça Carnaval | domingo Páscoa | 24, 25 e 31 dezembro 

Visitas guiadas: 

  • Terça a sexta: 11h00 | 15h00
  • Sábados | domingos | feriados: 14h30 | 16h00

01 de junho a 30 de setembro

Todos os dias: 10h00 – 18h00 (*)

Visitas guiadas:

11h00 | 13h00 | 15h00 | 16h30

Duração da visita: 60 minutos
Número máximo de pessoas por visita: 30
Recomenda-se a marcação prévia

(*) Última entrada para a Exposição Interpretativa 30 minutos antes do encerramento
A entidade gestora reserva-se ao direito de fechar o estabelecimento, conforme as condições meteorológicas.

Preços

  • Bilhete Completo: 10€
  • Bilhete Família (2 adultos com crianças até 17 anos): 17€
  • Exposição Interpretativa: 6€
  • Exposição Temporária: 3€
  • Filme Estereoscópico: 3€
  • Subida ao Farol: 1€

Descontos

    • Criança (até 12 anos): grátis
    • Júnior (13 a 17 anos): 50%
    • Sénior (+ 65 anos): 50%
    • Cartão Jovem, Interjovem e de Estudante: grátis
    • Bilhete Único Faial
      • Adulto: 15€
      • Família: 25€
      • Júnior: 7,50€
      • Sénior: 7,50€
      • Cartão Jovem, Interjovem e de Estudante: grátis
      • Crianças até aos 12 anos devem apresentar-se acompanhadas.

Contactos

Morada: Farol dos Capelinhos, 9900 Horta
Telf: (+351) 292 200 470
E-mail: pnfaial.vulcaodoscapelinhos@azores.gov.pt

Como Chegar

  • Situado na freguesia do Capelo, a cerca de 25 km do centro da cidade da Horta (cerca de 30 minutos de automóvel).
  • Saindo da cidade da Horta na direção oeste, siga pela Estrada Regional, passando pelas freguesias de Feteira e Castelo Branco.
  • Ao chegar à freguesia do Capelo, continue pela Estrada Regional. Depois de passar a entrada do Parque do Capelo devidamente assinalada (Reserva Florestal Natural do Parque do Capelo) à direita, encontrará um entroncamento onde deve virar à esquerda, seguindo a sinalização de estrada indicando “Vulcão dos Capelinhos”. Após percorrer cerca de 4 km encontrará a estrada de acesso ao Vulcão à esquerda, onde se localiza o Centro.

Coordenadas GPS

  • 38º35’48,791” N | 28°49’36,169” O

Fonte: Governo Regional dos Açores

O Corvo está de parabéns

Com uma área total de 17,2 Km ² e cerca de 430 habitantes, o Corvo é a mais pequena e a menos populosa ilha do arquipélago dos Açores. Terá sido descoberta com a das Flores em 1452 por Diogo de Teive, aquando do regresso da sua segunda viagem de exploração à Terra Nova. O seu povoamento não foi fácil, tendo …

Continuar a ler  

Da emigração com amor (e humor)

Nos Estados Unidos da América, estima-se que existam 1,5 milhões de emigrantes portugueses de origem açoriana, tendo os naturais do arquipélago ficado concentrados predominantemente em estados como Massachusetts e Rhoad Island, na costa leste, e na Califórnia, na costa do Pacífico, de forma mais intensa na década de 60 do século XX, sendo hoje a emigração residual. Fonte: Açoriano Oriental …

Continuar a ler  

Covid-19 – Solidariedade na ilha Terceira

Inspirado nalgumas iniciativas semelhantes, o proprietário do alojamento local O Refúgio em Angra do Heroísmo, André Brasil, decidiu avançar e colocou ao dispor dos profissionais de saúde um alojamento que tanto necessitam, de forma gratuita. Segundo André Brasil “é com muito prazer que O Refúgio se junta a esta fantástica iniciativa, demonstrando o devido apreço pelos nossos profissionais de saúde …

Continuar a ler  

Vinho Do Pico entre os melhores de Portugal

Foram provados e avaliados mais de mil vinhos, espumantes e aguardentes vínicas. Destes, um total de 68 foram premiados, com maior destaque para a região do Douro, que arrecadou 28 distinções. O prémio “Paixão Pelo Vinho Prestígio”, coube a oito produtores. Entre eles, três vinhos tintos, todos DOC Douro: Costa Boal Homenagem Douro tinto Grande Reserva 2011, da Costa Boal …

Continuar a ler  

Comer em São Miguel

Cozido das Furnas É o prato mais popular de São Miguel. O cozido é uma mistura de carnes – porco, frango e vaca – chouriços e legumes. O que o distingue de um cozido tradicional é que é cozido no subsolo pelo vapor vulcânico e sem água. É uma refeição preparada pela Mãe Natureza! Nas margens da Lagoa das Furnas …

Continuar a ler  

Banhos em fontes termais

Embora os Açores sejam banhados por águas relativamente quentes, ainda assim pode ser um pouco frio. A boa notícia é que existem águas quentes onde é possível dar um mergulho, receber uma massagem de água natural quente ou simplesmente relaxar e meditar. Estas fontes são comuns na ilha de São Miguel. A Poça da Dona Beija, a Caldeira Velha ou …

Continuar a ler