Madalena

Entre o verde de uma natureza pródiga e o azul do Atlântico, a Madalena é um concelho dinâmico e o mais populoso da Ilha do Pico, elevando-se do mar em beleza petrificada, merecendo a distinção de uma das Sete Maravilhas de Portugal.


A Madalena, pela sua posição geográfica frente ao Faial e à cidade da Horta, distando desta cerca de 7,5 Km, é o eixo principal das comunicações da ilha, posição que a torna uma privilegiada porta de entrada para apreciar tudo o que se oferece a quem nos visita.
Verdadeiros “ex-libris”, fronteiros à vila, estão os curiosos ilhéus Deitado e em Pé, onde nidificam aves marinhas. Estes apresentam-se fortemente degradados pela acção erosiva marinha, constituindo os resquícios de um cone vulcânico associado a erupções submarinas.


Dadas as suas características geológicas e a natureza vulcânica dos seus solos, a economia deste concelho assenta essencialmente na agricultura, na pecuária e na pesca. No entanto, perante os novos desafios impostos pela sociedade moderna, outras actividades se desenvolveram, contribuindo fortemente para a economia do concelho da Madalena, designadamente nas áreas do comércio, turismo e serviços.


A base da sua agricultura é composta por campos de frutos e de vinhas, sem paralelo noutras regiões do país e do mundo. O conjunto de “currais” e “canadas” em que são divididos os terrenos de cultivo da vinha é uma organização no espaço feita através de um retículo de muros negros, integrando protecções paralelas de paredes singelas ou dobradas em pedra, e constituindo particular e peculiar paisagem, considerada, em meados de 2004, “Património da Humanidade” pela UNESCO.

Fonte: Câmara Municipal da Madalena

Informação

SABER MAIS  

Diretório

Rabo de Peixe, origens e tradições

O segundo dia da atividade, no dia 20 de setembro a partir das 9h30, será dedicado a “Rabo de Peixe, origens e costumes” através de um passeio guiado pela zona costeira da vila com o intuito de dar a conhecer e valorizar a riqueza cultural e tradições existentes.

Continuar a ler  

Os golfinhos voam nos Açores

Este podia ser o começo de uma descrição da imagem deste artigo. Nesta, o fotógrafo convida o observador a imaginar de onde vem o golfinho: trata-se de um salto a partir da água ou estava a voar tranquilamente antes de um voo a pique sobre o Atlântico? Seja o que for que o leitor imagine, a semelhança com uma gaivota …

Continuar a ler  

Andreia Costa: alternativas para dias de mau tempo

Andreia Costa, residente em São Miguel, tem uma ideia muito clara sobre o que descobrir na ilha, para além das paisagens e lagoas deslumbrantes. Segundo a autora de um roteiro alternativo para São Miguel, a ilha encerra sítios muitas vezes desconhecidos que são locais de grande interesse.   As condições climáticas não devem ser um obstáculo, mas sim, uma mais …

Continuar a ler  

O Corvo está de parabéns

Com uma área total de 17,2 Km ² e cerca de 430 habitantes, o Corvo é a mais pequena e a menos populosa ilha do arquipélago dos Açores. Terá sido descoberta com a das Flores em 1452 por Diogo de Teive, aquando do regresso da sua segunda viagem de exploração à Terra Nova. O seu povoamento não foi fácil, tendo …

Continuar a ler  

Da emigração com amor (e humor)

Nos Estados Unidos da América, estima-se que existam 1,5 milhões de emigrantes portugueses de origem açoriana, tendo os naturais do arquipélago ficado concentrados predominantemente em estados como Massachusetts e Rhoad Island, na costa leste, e na Califórnia, na costa do Pacífico, de forma mais intensa na década de 60 do século XX, sendo hoje a emigração residual. Fonte: Açoriano Oriental …

Continuar a ler